Depois de João de Deus, Pastor é detido por abusar de fiéis

Havendo proposto um procedimento de cura através da unção, o pastor se aproveitava da situação crítica das mulheres para abusar delas


5 meses atrás | Micael Batista



Depois de João de Deus, Pastor é detido após abusar de fiéis

Em Uberlândia (MG), um pastor evangélico, de 44 anos, foi preso após cometer crimes libidinosos com fiéis. A delegada Ana Cristina Marques Bernardes, da DEAM, deu detalhes sobre a prisão preventiva do líder religioso.

No entanto, um pastor que liderava uma igreja situada no bairro Lídice em Uberlândia, está sendo acusado de praticar atos abusivos com as fiéis.

+Sem Lauriete, Magno Malta abre mão de affair e toma importante decisão

Esclarecimento do caso

Mediante ao exposto, segundo informações, o mesmo se aproveitava das fiéis, similarmente a João de Deus. O pastor dizia que iria fazer curas espirituais nas fiéis, e por sua vez possuía a necessidade de tocar nas partes íntimas.

Portanto, as fiéis com medo de não cumprir “o que Deus” mandava o sacerdote fazer, as mesmas deixavam acontecer. Contudo isso, vale enfatizar que a prisão preventiva do homem, só ocorreu depois dele haver abusado sexualmente de uma mulher de 32 anos.

O abuso aconteceu em dezembro/2018, porém o processo de investigação durou cerca de um mês. Após a conclusão dessa fase, foi expedido a prisão preventiva e aceito pela 1ª Vara Criminal de Uberlândia.

+Aline Barros faz sucesso com novo single e passa mensagem de fé

Portanto, vale destacar que diversas informações foram colhidas, porém ainda estão sendo concluídas. As demais vítimas estão sendo ouvidas para o complemento desse caso.

Assim sendo, este complemento ao caso do pastor pode piorar a situação. Contudo, se o mesmo for condenado, este cumprirá uma pena de até seis anos de prisão.

A delegada explicou que: “O delito se chama violação sexual mediante a fraude. Nesses casos, há a prática de conjunção carnal ou ato libidinoso. Mas não é mediante violência ou grave ameaça, mas por meio de um argumento que faz a vítima acreditar. No caso específico, [a vítima acreditou] que estava recebendo uma cura espiritual e quebra de maldição. Ela concordou com a prática da situação, porque foi iludida”.

Motivo pelo qual a vítima havia procurado o pastor

Vale destacar que, a mulher estava passando por crises no matrimônio, casamento que havia sido celebrado na igreja do pastor detido. Mediante as crises, o pastor propôs a fiel uma cura através do procedimento de unção. A primeira vez que o caso aconteceu, como descrito em cima, foi em dezembro do ano passado.

Após ter sido aconselhada por uma amiga, só este ano a vítima decidiu procurar a polícia, já que o pastor havia proposto uma nova seção.

+Pastor Rogério Dantas nega que mantinha “caso” com cantora gospel

“Ele fez uma proposta para a vítima tirar fotos nuas. Ela conseguiu gravar a conversa, trouxe os registros, fez o boletim de ocorrência e pediu providências”, revelou a delegada.

Apesar de apenas um só caso haver vindo á tona, Ana Cristina esclareceu que pelo menos quatro mulheres passaram pela mesma situação. E a polícia acredita que esse número pode aumentar.

Por fim, segundo a polícia, faz-se necessário a prisão preventiva e imediata desse homem, pelo fato de que o mesmo enquanto não tinha sido detido, permanecia com os cultos frequentemente.