Pastora Juliana Salles, mãe das crianças abusadas e mortas pelo pai fala pela primeira vez

Juliana disse que não tem certeza se o marido "Pastor George Alves" é culpado


1 ano atrás | Redação



Pastora Juliana Salles (Foto: Antonio Moreira)

Juliana Salles, a pastora evangélica que perdeu os filhos Kauã e Joaquim no dia 21 de Abril em um incêndio criminoso, onde a polícia apontou o seu esposo, pastor George Alves, como principal acusado, quebrou o silêncio e decidiu falar a imprensa pela primeira vez desde que o crime aconteceu.

O inquérito policial apontou que antes de atear fogo nas crianças, George teria espancado e abusado sexualmente das duas crianças, e apesar de ter apontado evidências conclusivas contra o pastor, a perícia descartou que Juliana tenha se envolvido de qualquer forma neste crime.

Ela estava em um congresso religioso durante o fim de semana que o crime aconteceu, e foi avisada por um bombeiro do que havia acontecido.

Juliana Salles aceitou ser entrevistada pelo jornal A Tribuna, e se mostrou bastante duvidosa quanto a inocência do marido.

+ Pastor que incendiou filho e enteado escondeu segredo para proteger apóstolo

Ela disse que conseguiu falar com ele apenas uma vez através de uma carta, que conseguiu enviar antes da polícia fazer a acusação oficial.

Perguntada se pretende visitá-lo na cadeia, ela disse que ainda não sabe.

Juliana disse ainda, estar disposta a ir a CPI dos Maus Tratos em Brasília, caso seja convocada. George foi interrogado pelo Senador Magno Malta, dias após a polícia apresentar o ínquerito

Você pode ouvir a entrevista da pastora Juliana Salles sobre o caso, no vídeo [Abaixo], publicado pelo canal No Entanto, que vem acompanhando esse caso de perto desde o início.

+ “Nardoni gospel” Caso do pastor que matou filho e enteado para encobrir estupro, lembra caso antigo

15 pontos do inquérito sobre pastor que estuprou e ateou fogo no filho e enteado, que vão te fazer chorar

1 – Perto de uma escrivaninha que ficava no box de um banheiro da casa, a polícia confirmou ter encontrado sangue de uma das vítimas.

2 – A polícia não tem dúvidas de que, durante a madrugada, o pastor molestou as duas crianças. Isso aconteceu antes das agressões.

3 – Depois de agredir as crianças, elas acabaram ficando desacordadas, nesse momento, o pastor colocou os dois na cama e ateou fogo em ambos, ainda respirando.

4 – A pericia concluiu que  as crianças não morreram por inalar fumaça, e que elas não reagiram por que estavam desacordadas.

5 – A teoria de que algum problema elétrico teria causado o incêndio, foi rapidamente descartada, já que não foram encontrados nenhum vestígios de curto-circuito.

6 – Uma babá eletrônica foi encontrada no quarto, mas ela estava intacta, o que comprova a tese de que o incêndio não se originou por problema elétrico.

7 – O pastor escolheu passear na rua depois de atear fogo contra as crianças. Ele foi visto em vários lugares depois do crime.

+ Após prisão, o que pensam fiéis e esposa do pastor acusado de matar filho e enteado

8 – Antes do incêndio, testemunhas relataram ter ouvido gritos das crianças, durante os momentos da agressão.

9 – Vizinhos precisaram derrubar o portão quando chegaram ao local, na tentativa de salvar as crianças.

10 – A perícia constatou que as vítimas morreram no mesmo local em que o incêndio iniciou, confirmando a versão de que 11  estavam desacordadas quando as chamas começaram.

11 – A mãe das crianças não teve envolvimento no crime, a perícia constatou que ela não foi conivente.

12 – A polícia revelou não ter nenhuma previsão de que outras pessoas possam ser indiciadas, já que, o pastor estava sozinho

13 – em casa, e cometeu os crimes enquanto a mãe participava de um congresso evangélico.

14 – A justiça deverá receber o inquérito policial do caso, ainda na próxima semana.

15 Se condenado, o pastor poderá responder  por duplo homicídio triplamente qualificado e duplo estupro de vulnerável. A soma máxima das penas é de 126 anos.

A polícia confirmou ainda, que não existem registros de outros casos de pedofilia envolvendo o pastor.




publicidade

Mais artigos

O que Michele do Carmo revelou à polícia antes de morrer ?

A irmã do pastor Anderson do Carmo acreditava no envolvimento de Flordelis


Advogado da família de Anderson do Carmo acredita que irmã do pastor foi “assassinada”

Michele do Carmo de 39 anos morreu na madrugada dessa segunda-feira 21


O que você não sabe sobre a morte da irmã de Anderson do Carmo

Ela estava internada para se tratar de uma anemia, mas faleceu na madrugada dessa segunda-feira


Flordelis toma atitude inesperada ao saber da morte de sua cunhada

Michele do Carmo morreu na madrugada dessa segunda-feira 21


URGENTE: Morre irmã do pastor Anderson do Carmo

A notícia foi divulgada pelo filho adotivo do pastor Misael Andrade


Lauriete explica porque não compareceu a evento do Gideões Missionários

O nome da cantora estava no cartaz como uma das atrações do congresso


Obreiros pedem a saída do Pastor Ailton José Alves da presidência da AD Pernambuco

O pastor Ailton e a diretoria da IEADEP estão sendo investigados pela Polícia Federal e pelo MPPE


Urgente: Pastor que evangelizava nas favelas é executado por traficantes

O pastor estava em casa quando foi surpreendido por dois homens que já chegaram atirando


Um ano após polêmica Samuel Mariano é consagrado a evangelista na ADBrás

O cantor se tem sido peça importante em Alagoas para o bispo Samuel Ferreira


Fadi Faraj pode ter a prisão preventiva decretada

Fadi Faraj nega as acusações e diz não entender o motivo que motivou as mulheres a fazer tais acusações contra ele.