Pastores da Assembleia de Deus do Maranhão recebem mega-salário do governo em troca de apoio político

O Ministério Público constatou que os pastores foram admitidos a vagas de capelães sem concurso público


Publicado em: 03/05/18 às 18:14 por Caio Rangel

Pastores recebendo super salários (Reprodução)

Compartilhe:

Vários pastores da igreja evangélica Assembleia de Deus do Maranhão, estão envolvidos em um dos maiores escândalos políticos do estado.

O Ministério Público Eleitoral (MPE), deu um prazo até o dia 06 de maio, para que o governador do estado do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), responda sobre a nomeação de 36 capelães na área de segurança pública sem concurso público, apenas para obter apoio político dos pastores para as próximas eleições.

+ Pastor Marcos Pereira e seu cachê milionário

Segundo a denúncia, o salário de alguns pastores capelães passa dos 20 mil reais. Entre os pastores envolvidos no esquema, está Felipe Madureira Silva, que foi nomeado como capelão religioso da Secretaria de Administração Penitenciária (SEAP).  Felipe é filho do pastor Marcos Pereira do Rio de Janeiro.

Marcos Pereira é o presidente nacional da (ADUD) Assembleia de Deus dos últimos Dias. O pastor já foi acusado de alguns crimes, entre eles; envolvimento com o tráfico, e estupro.

Segundo o relatório encaminhado a corregedoria Marcos Pereira é filiado ao (PCdoB), mesmo partido do governador Flávio Dino.

+ Pastor Marcos Pereira é condenado por estupro de mulher “endemoniada”

Felipe é pastor presidente da (ADUD) em São Luís, (MA). Segundo as investigações, o que acontece é um acordo entre pastores e o governo do estado. Os pastores oferecem apoio político em troca de cargos públicos.

O pastor Elizeu Fernandes, presidente da Ordem dos Pastores Batista (OPB), criticou a atitude dos pastores assembleianos, em entrevista ele disse: “A nomeação de capelães ou de outro setor da vida pública, o acesso há de ser por concurso. O Ministério Público deve estar atento a essas práticas que vem trazendo prejuízos a imagem dos evangélicos, porque se entende como uma mistura das práticas religiosas com a política”,

O caso vem ganhado destaque não só no estado do Maranhão, mas também em todo o país. O pastor Felipe não se manifestou sobre o assunto até agora, e também não foi divulgado o valor do seu salário.

A realidade é que esse episódio tem cada vez mais manchado a reputação da entidade religiosa Assembleia de Deus do Maranhão, já que a maioria dos envolvidos na denuncia são pastores assembleianos.

Compartilhe:



Mais artigos

Artistas gospel se solidarizam com Damares após morte do pai

O pai de Damares faleceu na manhã deste Domingo


Pai da cantora gospel Damares morre aos 73 anos

Damares chegou a se ausentar das redes sociais para se dedicar a família durante internamento do pai


Como a greve dos caminhoneiros afetou as igrejas evangélicas

Pastor Silas Malafaia e Bispo Samuel Ferreira cancelaram vários cultos


Pai de Priscilla Alcantara posta foto rara da filha e relembra infância

Priscilla Alcantara começou na TV, apresentando o Bom dia & Cia no SBT


Bispo Samuel Ferreira segue exemplo de Malafaia em rara decisão

O bispo é presidente da nação Madureira e líder da Adbrás


Alexandre Aposan lidera time de jurados do “Gerando Talentos 2018”

Do Samba ao Rock, o músico provou ter uma versatilidade incrível, tocando  com artistas dos mais variados estilos


Após depressão profunda, cantora gospel “zera” Instagram e anuncia novidade

A cantora é um dos grandes nomes da música gospel da igreja Adventista


Após prisão, o que pensam fiéis e esposa do pastor acusado de matar filho e enteado

George Alves era cabeleireiro antes de fundar a própria igreja


Suposto vídeo íntimo de pastor da Assembleia de Deus do Maranhão circula na internet

Ele faz parte da Convenção Estadual das Assembleias de Deus no Maranhão (CEADEMA)


Greve dos caminhoneiros obriga pastor Silas Malafaia a cancelar culto

O pastor informou em seu Instagram que o Culto da Vitória desta quinta-feira foi cancelado