Em meio à crise cantor gospel cobra R$25 mil de cachê e é denunciado por vereador

Tom Carfi teria sido contratado em um processo sem licitação


Publicado em: 30/05/18 às 15:46 por Caio Rangel

Tom Carfi (Reprodução)

Compartilhe:

O vereador Jorge Gomes de Oliveira Brand, mas conhecido como “Goura” da cidade de Curitiba (PR), fez duras críticas à contratação do cantor gospel Ton Carfi, que cobrou R$ 25 mil reais para se apresentar em um show na cidade.

Ton não é o único artista gospel que já foi criticado por cobrar altos valores para se apresentar. A realidade é que, para uma prefeitura realizar um show gospel hoje em dia, precisa estar disposta a desembolsar altos valores. Em média os “artistas gospel” cobram de R$50.000 à R$200 mil reais, por uma apresentação para eventos que são bancados pela prefeitura, á maioria desses artistas superfaturam o valor do cachê para eventos que são pagos com dinheiro público

+ Apóstolo Maurício Santa Fé e Ton Carfi ministram juntos

O vereador Goura usou sua página do Facebook para cobrar explicações e questionar a Secretaria Municipal de Defesa Social da Prefeitura de Curitiba, pela contratação do artista gospel por um valor de R$ 25 mil reais “sem licitação”.

+ Entrevista: Ton Carfi fala sobre o clipe “hospício” e rebate críticas

Goura e Tom Carfi (Reprodução)

Goura e Tom Carfi (Reprodução)

O vereador escreveu:  “Um Estado é considerado laico quando promove oficialmente a separação entre Estado e religião. A partir da ideia de laicidade, o Estado não permitiria a interferência de correntes religiosas em assuntos estatais, nem privilegiaria uma ou algumas religiões sobre as demais. O Estado também deve garantir e proteger a liberdade religiosa de cada cidadão, evitando que grupos religiosos exerçam interferência em questões políticas. Por outro lado, isso não significa dizer que o Estado é ateu, ou agnóstico. A descrença religiosa é tratada da mesma forma que os diversos tipos de crença”, concluiu.

Ton Carfi esclareceu acusações do vereador

Escândalo: Cantores gospel superfaturam valor de cachê para eventos de prefeitura

música gospel é um negócio bastante lucrativo, isso certamente é algo que todos podem concordar, mas dentro desse nicho de negócio, existe uma prática bastante comum, que beira a irregularidade.

Se trata dos valores cobrados pelos artistas gospel, os cachês que recebem por cada apresentação. Os números, além de altos, não são fixos, e podem ser até três vezes maiores, se o evento for pago com dinheiro público.

Não é de hoje que a grande maioria dos cantores gospel tem levado verdadeiras fortunas de prefeituras, por uma apresentação igual, ou inferior a feita em eventos bilhetados.

Os valores são surpreendentemente maiores, dos que são cobrados em shows convencionais.

Para se ter uma noção, cantores que cobram entre R$5.000 e R$10.000 em eventos bilhetados ou igrejas, chegam a cobrar até R$35.000 em eventos pagos por prefeituras. Esses são aqueles cantores “Menores”, com menos sucesso.

Já aqueles mega artistas, os famosos de grandes gravadoras, esses costumam cobrar acima dos cem mil reais.

Compartilhe:



Mais artigos

Daniela Araújo se apresenta no “Promessas no G1” desta Quinta. Saiba tudo!

A cantora gospel irá falar sobre seu retorno a música gospel e responderá perguntas dos fãs


Cantor gospel que “cutucou Malafaia com vara curta”, não grava vídeos há 3 semanas

O pastor calou o cantor gospel, depois de comentar sobre uma polêmica antiga em que o cantor se envolveu


Urgente! Pastor denuncia trama de grupo de pastores contra cantores gospel famosos

Priscilla Alcantara, Aline Barros, Thalles Roberto e André Valadão seriam os principais alvos desses pastores


“Nardonis gospel”: Pastora Juliana Salles é presa acusada na morte dos filhos

Juliana é esposa do pastor George Alves, principal acusado na morte das crianças


Último post de Ludmila Ferber revela crença em “Aliança eterna”

A cantora gospel está em tratamento contra um câncer no pulmão


Cantor gospel retoma carreira após 8 anos na administração pública

Alessandro é filho de missionários e viveu na África e em várias cidades do Brasil


Deputado Sóstenes Cavalcante defende vereador “Negro e Gay” contra ataque de Ciro

Sóstenes gritou 12 vezes a frase "Ciro Gomes Caloteiro!", durante sua fala no plenário da Câmara


“Número mágico” do Gideões causa estranheza em seus contribuintes

O Gideões Missionários da Última Hora continua usando o mesmo número de famílias assistidas pela instituição há cinco anos


Cantores gospel passam vergonha ao compartilhar suposta redução de 7% no alcance do Instagram

Os cantores gospel não foram os únicos, muitos pastores evangélicos também compartilharam a mesma história


De Feliciano à Sóstenes Cavalcante; Veja quanto 10 deputados evangélicos gastaram da cota parlamentar

Pesquisamos quanto esses deputados evangélicos usaram da cota parlamentar durante o mandato