Kemilly Santos vira alvo de pastor e é hostilizada na internet

O motivo teria sido a cobrança de cachê no valor de R$5 mil

Publicado em: 30/03/18 as 16:53 por Thalita G
Kemilly Santos vira alvo de pastor e é hostilizada na internet
Compartilhe:

Kemilly Santos foi apontada de forma pejorativa como “Artista Gospel”, por um pastor evangélico que tentou contratar a cantora para ministrar em um evento de sua igreja. Fabio Oliveira é pastor da Betsaida Church, no Jardim São Roque, São Paulo.

Foi através de um post em uma rede social que o pastor expressou sua revolta e frustração, depois que entrou em contato com a assessoria de Kemilly, na tentativa de fazer um orçamento para seu evento. Ele chegou a compartilhar prints da conversa com a assessoria da cantora, onde lhe foi passado as condições.

Nos prints publicados pelo pastor, é possível ver que as condições repassadas pela assessoria da cantora, envolvem o trivial; Passagens aéreas, transporte, alimentação, hospedagem e uma oferta de R$5.000,00. Se você se espantou com o valor, lembre que Gabriela Rocha cobra de cachê, R$12 mil reais para igrejas.

A publicação feita pelo pastor, recebeu centenas de comentários e de críticas a cantora, apesar de alguns seres viventes terem interpretado como desnecessária a sua atitude.

+ Entrevista exclusiva com Kemilly Santos

Confira a postagem com os prints:

 

Depois da repercussão do caso, o pastor acabou excluindo o post, mas até isso acontecer, o caso já havia se espalhado em vários grupos de notícias gospel na internet e aplicativos de mensagens.

O que Kemilly Santos diz sobre o caso?

Através de uma nota, a assessoria da cantora respondeu as críticas com a seguinte declaração:

Fomos surpreendidos por tal postagem em uma rede social.

Em momento algum procuramos instituições ou pessoas para oferecer algo na qual não seja de interesse de ambos.
Quando somos procurados afim de atendermos um compromisso,  com requisição para convites de eventos, tentamos entender as particularidades de cada instituição e/ou pessoa, e na medida do possível, atender dentro da realidade exposta.
Não há exigências, mas sim  “necessidades”, exemplo: residir no Sudeste; e viajar para as mais variadas cidades do país, existe a necessidade de meios de locomoção, seja rodoviário ou aéreo.
Estar longe do domicílio, não ter familiares no Estado onde atenderemos o compromisso, existe a “Necessidade” de  hospedagem;  chegar no aeroporto e ter que seguir até o bairro ou região de destino, é necessário um transporte.
Bem; colocado estes fatos e também os esclarecidos, creio que não restam dúvidas que não são exigências e sim necessidades; comum a todos os ministérios itinerantes.
Esclarecemos ainda que, todo o recurso advindos dos eventos;  permite a cantora viver como cidadã, honrando seus compromissos financeiros, bem como a manutenção de equipe de colaboradores, sejam eles do escritório ou equipe de estrada, na qual nao possuem vínculo de voluntariado; e todos são remunerados conforme as leis vigentes do nosso país.
De modo que; apesar de nossas despesas fixas, mensais e investimentos em novos projetos musicais da cantora, não somos taxativos, ou deixamos de atender por valores pré fixados; obviamente quem nos convida tem total liberdade de nos falar sua realidade, e quando isso não acontece, infelizmente, não temos como saber.
Creio que este caso específico ao invés de expor suas conclusões precipitadas e pessoais, tivesse nos retornado e buscado fazer como a grande maioria que nos procura, possívelmente não haveria a necessidade de tal esclarecimento.

No amor de Cristo
Assessoria de imprensa

 

Compartilhe: