noticias gospel

Marco Feliciano e Silas Malafaia se manifestam contra performance no MAM

Mesmo separados, os pastores gravaram vídeos defendendo a mesma pauta

Publicado em: 29/09/17 as 21:59 por Thalita Guedes Fontes

Marco Feliciano e Silas Malafaia se manifestam contra performance no MAM
Compartilhe:

Os pastores Silas Malafaia e Marco Feliciano, se manifestaram na tarde desta sexta feira (29), contra uma “performance” que aconteceu na abertura do 35º Panorama da Arte Brasileira no MAM (Museu da Arte Moderna), em São Paulo.

O caso tomou uma enorme repercussão na web, e performance passou a ser acusada de incitar a pedofilia.

Fotos e vídeos da tal performance começaram a se espalhar rapidamente pela web.

Em um dos vídeos, é possível ver uma criança tocando o corpo do coreógrafo carioca Wagner Schwartz, enquanto ele fica deitado e nu no chão.

Silas Malafaia

Silas Malafaia gravou um vídeo criticando duramente o ato, e chamou de “Lixo Moral”, além de apontar como  “Ativistas gays, esquerdopatas e libertinos”, os responsáveis pela performance.

O pastor disse que isso é uma afronta ao “pequeno ser” e justificou que é por causa de situações como esta, que a constituição federal instituiu a classificação indicativa.

Malafaia também citou o artigo 79 do Estatuto da Criança e do Adolescente, que proíbe que imagens eróticas sejam mostradas a crianças.

Assista:

Marco Feliciano

O deputado federal e pastor Marco Feliciano também gravou um vídeo sobre o caso.

O pastor se disse indignado e enfurecido com essas mostras que tem sido apresentadas nos museus brasileiros nos últimos dias.

Ele lembrou do Queermuseu, que expôs quadros também de incitação a pedofilia e zoofilia, e que foi duramente criticado no inicio do  mês.

Feliciano enfatizou; Deixem nossas crianças em paz!

Segundo ele, a única coisa que uma criança pode fazer ao ver um corpo nu, é despertar o interesse pela erotização.

O deputado disse que o Museu da Arte Moderna pecou ao exibir a performance, e também atacou o “artista” que aparece nu e sendo tocado pela criança.

Marco Feliciano disse que irá solicitar ao Ministério Publico Estadual, que instaure um inquérito civil para apurar as responsabilidades.

Assista:

Compartilhe: