Senador evangélico se “acovardou” em votação que aprovou casamento gay


Publicado em: 10/03/17 às 15:21 por Micael Batista | Atualizado em 31/08/2017 às 23:35


O Senador Eduardo Lopes (PRB-RJ), envergonhou a chamada “Frente evangélica” no senado, após votar por “abstenção” no projeto que acabou sendo aprovado no CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, que aprova a união estável entre pessoas do mesmo sexo.
O projeto é de autoria da senadora Marta Suplicy (PMDB-SP) e relatado pelo senador Roberto Requião (PMDB-PR), e altera pontos do Código Civil, que atualmente classifica como entidade familiar “a união estável entre o homem e a mulher”.

Eduardo Lopes é pastor da Igreja Universal do Reino de Deus e seu voto foi considerado uma “Covardia”, por muitos líderes religiosos e até mesmo, alguns colegas.
Sendo ele evangélico, ele deveria ter no mínimo se posicionado contra, e se mostrar a favor da família. Disse o pastor Enoque Batista, da igreja presbiteriana do Brasil em seu perfil no Facebook.
Veja a relação dos votos:

Senador Magno Malta

Senador Magno Malta
No dia da votação, o senador Magno Malta estava doente e se recuperando no hotel.
Com a ausência de Malta, o PLS 612/2011, teria muito mais chance de ser aprovado e foi imediatamente colocado em pauta, o que não estava programado para aquele dia.
Ao saber que o CCJ iria votar esse projeto, Malta, mesmo doente, se dirigiu até o senado, o que acabou sendo em vão, porque ao chegar no local, a comissão já havia aprovado o projeto de lei.
Porque então o senador Eduardo Campos não se manifestou, pedindo que esperassem pela chegada do senador Magno Malta que estava doente e à caminho?
Porque não avisou a Malta sobre a votação?
No dia da votação, o presidente da frente evangélica era o deputado João Campos, que também é do PRB. Se Eduardo Lopes tivesse informado ao presidente da frente evangélica e aos deputados do seu partido, certamente teriam conseguido parar a votação e adiar para outro dia.
E por fim, como um pastor evangélico, eleito com o voto de famílias cristãs, prefere cruzar os braços diante algo tão sério, e que é tão combatido pelos líderes e políticos religiosos?
Pense nisso em 2018.


Aniversariante do mês
Caio Fábio

Escritor

63 anos


publicidade

Mais artigos

Pastor da Assembleia de Deus é preso em flagrante após marcar encontro com menor

A Polícia foi avisada com antecedência e seguiu o indivíduo até o local do encontro marcado com a garota, prendendo o pastor em flagrante


Filha de pastor grava áudio desesperada: passamos fome

O áudio que denuncia o pastor Valdomiro Pereira foi gravado pela filha do pastor Fernando, e está circulando em grupos de WhatsApp


“Profecia” de Marco Feliciano se cumpre e pastor comemora

Feliciano foi um dos deputados que votou para que o processo de denúncia contra Temer fosse arquivado enquanto ele estivesse no poder


37 fatos que talvez você não saiba sobre Priscilla Alcantara

A cantora gospel já conheceu o Chaves [Roberto Bolanos]


Cassiane, Elaine Martins e Eli Soares, são processados em R$500 mil reais

Até o missionário RR Soares foi citado no mesmo processo


Pastor e cantor gospel Kleber Lucas proíbe entrada de grupo de pessoas em sua Igreja

Kleber Lucas é cantor, compositor, pastor e fundador da Igreja Batista Soul


Samuel Mariano esclarece vídeo polêmico em que aparece fazendo cobrança

Samuel disse que o vídeo é antigo, e que tudo não passou de uma brincadeira que fez com o empresário


Ex-integrante do grupo Voz da Verdade é consagrada a pastora pelo pai

Durante 15 anos Lydia fez parte do grupo, somente em 2005, gravou seu primeiro álbum solo, "Protegida"


Saiba como está Ludmila Ferber um ano após iniciar tratamento contra o câncer

A cantora explicou que apesar das dificuldades enfrentadas em decorrência do câncer, ela entende que se cumpre em sua vida as promessas de Deus


Sem mandato e sem Lauriete, Magno Malta apresenta estratégia para se manter na mídia

O parlamentar também não se enquadrou em nenhum dos ministério do presidente Jair Bolsonaro, e acabou ficando de fora sem nenhum cargo público