noticias gospel

Escândalo: 2 anos depois de escândalo, Fernandinho ainda não reembolsou produtores de evento

Publicado em: 28/09/15 as 11:47 por Micael Batista

Compartilhe:
Além de cantor, Fernandinho também é “Pastor” e artista da produtora Som Livre.

Há quase dois anos o cantor gospel Fernandinho, era a grande atração do festival gospel Sou De Cristo, na cidade de São Raimundo Nonato, Piauí. Ele não compareceu e o evento foi cancelado.

Na época os organizadores divulgaram que Fernandinho pediu o pagamento antecipado do cachê de R$ 35.000,00, além de avião para transportá-lo de Petrolina/PE até São Raimundo Nonato/PI. Porém, o voo que levaria o cantor até Petrolina atrasou, e a empresa de taxi aéreo que faria o transporte de Petrolina para São Raimundo, alegou que como o aeroporto na época não era homologado pela INFRAERO, não podendo receber voos depois das 18 horas.

O cantor entrou em contato com a organização do evento, que providenciou uma van executiva e um veículo SW4 de luxo, ao custo de 5.000,00 que seriam pagos pelos promotores do evento, para transportar o cantor e sua equipe pelos 300 km que separam as duas cidades. Segundo foi divulgado, o cantor teria dito que por via terrestre não iria a São Raimundo em hipótese alguma.

No local do evento, o pastor da Igreja responsável pelo festival criticou-o diante das cerca de mil pessoas presente no local: “Conheci o Fernandinho em um show no interior do nosso estado, onde ele chegou na cidade com um violão nas costa e de carro, hoje se julga superior e tão importante que só pode viajar de avião, tal atitude envergonha a classe protestante”.

CASO FOI PARAR NA JUSTIÇA

A NASA Produções, responsável pelo evento, que tem como empresário Nadrielson dos Santos Silva e produtor Samuel Ribeiro ficaram com todo o prejuízo causado pelo não comparecimento do artista.

Nasa Produções e o Advogado Alexandre Cerqueira entram com ação no Fórum de São Raimundo Nonato.

O contrato com o artista foi feito entre as empresas Faz Chover Produções Artísticas e Musicais LTDA e a Robson Martins Silva – ME (Corações em Chamas Produções e Eventos) e o contratante Nadrielson dos Santos Silva. O valor do contrato era de R$ 35.000,00 (trinta e cinco mil reais), sendo que tal valor foi integralmente quitado nas datas acordadas e previstas pelo contrato.

Além do pagamento do cachê, o requerente ficou responsável pelo pagamento das despesas referentes a transporte aéreo, alimentação, hospedagem e translado do artista e de sua equipe.

A NASA Produções cumpriu com todos os pedidos feitos pelo artista, diante disse e acreditando que o artista FERNANDINHO cumpriria o contrato, a empresa contraiu diversas despesas, tais como aluguel do clube, som, iluminação, aquisição de bebidas e alimentações, prestadores de serviços, pousadas e hotéis, viagens de divulgação do evento, publicidade e várias outras.

Mais de 1300 ingressos antecipados foram vendidos, sendo que diversas caravanas de todos os recantos do estado do Piauí e estados vizinhos se deslocaram para São Raimundo Nonato, em alguns casos percorrendo mais de mil quilômetros de distância.

Os organizadores viram o clube lotado aguardando a realização do evento, sem a presença do artista o festival foi cancelado. Tal fato gerou a revolta do público que pagou pelos ingressos e ficou sabendo do cancelamento apenas no horário do show.

Os prejuízos causados pela não realização do show chegam a mais de R$ 80.000,00 mil reais. Fernandinho tenta jogar a culpa para a empresa aérea, porém o musico estava apenas a 300km de São Raimundo Nonato e se negou a vim.

Após o fiasco do evento, os empresários foram até Petrolina no dia 29/11/2013 e se encontraram pessoalmente com o empresário Robson Martins e o musico e pastor Fernandinho no Hotel Velho Chico, na conversa o clima foi tenso, porém amenizado com a falsa promessa da devolução do dinheiro. O encontro acabou com uma oração entre os presentes. Infelizmente dias depois da data combinada para devolução o empresário e o musico se esconderam nas costas do advogado Dr. Leonardo Girundi que presta serviços de assessoria jurídica para ambas as empresas envolvidas.

Segundo o advogado da Nasa Produções, Dr. Alexandre Cerqueira foi protocolado em (09/01/2014) o processo contra o artista e a empresa Faz Chover, -“Meus clientes tentaram por inúmeras vezes resolver a situação e chegar a um acordo, infelizmente o Fernandinho se negou a ressarcir o dinheiro pago. Preparamos todo o processo, com fotos, vídeos e toda a documentação. A imagem dos meus clientes foi manchada pela falta de compromisso do artista”, diz Cerqueira.

O advogado ainda disponibiliza o numero do processo para toda a população acompanhar. (Processo de Nº 00000.15-78.2014.8.18.0073).

Segundo a Nasa Produções já são dois anos de tentativas para solucionar esse problema, porém os advogados de Fernandinho fazem de tudo para adiar o processo.

A reportagem entrou em contato com o advogado de Fernandinho, Dr. Leonardo Girundi e com a produtora do artista porém não houve êxito.

Fonte: Sao Raimundo
Compartilhe: