“O menino poderia ter sido salvo”, diz deputado policial sobre mortes de PMs


Publicado em: 15/08/13 às 14:40 por Micael Batista | Atualizado em 29/08/2017 às 23:42


O deputado estadual Major Olímpio (PDT) disse nesta quarta-feira que o comando da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) agiu, no mínimo, com amadorismo ao não suspeitar das mortes dos cinco integrantes da família Pesseghini, na chacina ocorrida há dez dias em Brasilândia, na zona norte de São Paulo.

“Falo constrangido: nada funcionou”, disse o deputado policial ao considerar estranho que nenhum integrante da corporação tenha se certificado do que ocorreu com a família diante da ausência do sargento Luiz Marcelo Pesseghini no grupo da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) que seguiu em comboio em direção a Presidente Wenceslau na manhã do último dia 5 para realizar operações contra ações do Primeiro Comando da Capital (PCC).“Havia um planto de chamada. O sargento deveria se apresentar ao batalhão às 5 horas para seguir em comboio às 8 horas e não compareceu. Os corpos só foram encontrados 18 horas depois”, lembra Olímpio, para quem a falha foi determinante para ampliar a tragédia e semear confusão nas investigações.

Dica do dia: Receba notícias exclusivas direto no seu celular, cadastre-se já.

“O menino poderia ter sido salvo”, diz o deputado. No momento em que policiais e retornaram para o batalhão sem confirmar o que havia acontecido com dois colegas, o menino estava na escola. Lá, uma vez localizado, poderia explicar o que aconteceu.

Leia: Vídeo mostra ativistas gays explodindo carro de Marco Feliciano.Assista:

Olímpio não acredita na versão da Divisão de Homicídios da Polícia Civil, segundo a qual, o menino matou os pais, a avó, a tia-avó e depois se suicidou com um tiro na cabeça. Caso essa versão venha a ser comprovada, diz ele, Luiz Marcelo, de 13 anos, poderia estar vivo porque teria sido contido ainda na escola. “Ficou claro que o sistema de comunicação falhou”, afirma o deputado policial.

Olímpio diz que o prazo de conclusão do inquérito (30 dias) e ausência de laudos que fortaleçam a hipótese da polícia recomendam cautela antes de se fechar questão em torno da tese da polícia. O que mais o intriga são a rapidez com que se difundiu a versão da polícia e os perfis das vítimas, Andréia e Luiz Marcelo, dois policiais cujas atuações afetavam tanto os desvios internos da corporação quanto o crime organizado.

“Não creio de jeito nenhum em homicídios seguidos de suicídio. Acho que foi um crime premeditado, organizado e executado para eliminar a família confundir a polícia. A hipótese mais provável é que a motivação esteja relacionada a ‘treta’ de polícia”, afirma, explicando que policiais do batalhão em que trabalhava Andréia estão envolvidos em desvios.

QUAL A SUA OPINIÃO SOBRE ESSE CASO? COMENTE



Aniversariante do mês
Caio Fábio

Escritor

63 anos


publicidade

Mais artigos

Pastor da Assembleia de Deus é preso em flagrante após marcar encontro com menor

A Polícia foi avisada com antecedência e seguiu o indivíduo até o local do encontro marcado com a garota, prendendo o pastor em flagrante


Filha de pastor grava áudio desesperada: passamos fome

O áudio que denuncia o pastor Valdomiro Pereira foi gravado pela filha do pastor Fernando, e está circulando em grupos de WhatsApp


“Profecia” de Marco Feliciano se cumpre e pastor comemora

Feliciano foi um dos deputados que votou para que o processo de denúncia contra Temer fosse arquivado enquanto ele estivesse no poder


37 fatos que talvez você não saiba sobre Priscilla Alcantara

A cantora gospel já conheceu o Chaves [Roberto Bolanos]


Cassiane, Elaine Martins e Eli Soares, são processados em R$500 mil reais

Até o missionário RR Soares foi citado no mesmo processo


Pastor e cantor gospel Kleber Lucas proíbe entrada de grupo de pessoas em sua Igreja

Kleber Lucas é cantor, compositor, pastor e fundador da Igreja Batista Soul


Samuel Mariano esclarece vídeo polêmico em que aparece fazendo cobrança

Samuel disse que o vídeo é antigo, e que tudo não passou de uma brincadeira que fez com o empresário


Ex-integrante do grupo Voz da Verdade é consagrada a pastora pelo pai

Durante 15 anos Lydia fez parte do grupo, somente em 2005, gravou seu primeiro álbum solo, "Protegida"


Saiba como está Ludmila Ferber um ano após iniciar tratamento contra o câncer

A cantora explicou que apesar das dificuldades enfrentadas em decorrência do câncer, ela entende que se cumpre em sua vida as promessas de Deus


Sem mandato e sem Lauriete, Magno Malta apresenta estratégia para se manter na mídia

O parlamentar também não se enquadrou em nenhum dos ministério do presidente Jair Bolsonaro, e acabou ficando de fora sem nenhum cargo público