noticias gospel

Prova da OAB: Empresa erra na aplicação e prejudica alunos

Publicado em: 26/07/13 as 2:35 por Micael Batista

Compartilhe:
O site O Fuxico Gospel recebeu um e-mail do leitor Flávio Cristo, pedindo ajuda sobre polêmica envolvendo a OAB.

Leia na integra:

Olá! no dia 16/06 foi realizada a 2ª fase do Exame Unificado da OAB, tento como empresa responsável pela aplicação a FGV.

A indignação consiste no fato de que a Peça Pratica Profissional, foi omissa quanto elementos necessários que possibilitasse sua efetiva analise e por fim elaboração.
Sendo assim muitos alunos deixaram de pontuar o quesito que tratava da desclassificação do crime de furto qualificado, para crime de furto simples, o que resultou em muitas reprovações.

Tal analise não partiu apenas dos examinados, pois vários doutrinadores e juristas de todo o Brasil entenderam que a banca errou grosseiramente.
Diante das varias manifestações, o professor Cezar Roberto Bitencourt resolveu apoiar a causa, sendo quem redigiu a Carta que lhes foi enviada.

O Objetivo central e conseguir o apoio de vários juristas, professores, presidente de Seccionais ( cada estado federado possui a sua), bem como conselheiros da OAB ( responsáveis por deliberações colegiada dessa natureza).
Caso amanha 26/07, dia marcado para divulgação do resultado dos recursos administrativos que versam sob a anulação da Peça ( valor total 5 pontos) ou da Tese de Desclassificação (valor total pontuação 1,5), o objetivo é que o Conselho da Ordem leve ao pleno dia 05/08 nossas reivindicações.

Buscamos todo o apoio possível, não por que nossa causa é difícil de ser ganha, mas sim por que a OAB/FGV na maiorias das vezes não reconhece seus erros.
Caso não consigamos na via administrativa, ja esta sendo elaborado um Mandado de Segurança, que trata-se de uma ação que visa garantia de direito liquido e certo ( face ao erro exorbitante da banca nasceu para nos um direito liquido e certo). Tal medida sera tomada acaso o Conselho da OAB entenda que não deve ser anulada a peça pratica ou mesmo a tese de desclassificação.

Trata-se de uma manifestação de extensão nacional, ja temos varios grupos no face, twitter, blog’s versando sobre o mesmo tema.

A carta demonstra o conteúdo fático do ocorrido bem como o conteúdo jurídico, com minudencias.

Por fim, vale consignar conforme consta na Carta houveram outros erros como no caso de Direito Civil, que foi atribuído 2,5 para todos os examinandos, bem como Direito Tributário que aceitaram 7 peças diferentes, possibilitando a aprovação de vários alunos.
Essa não foi a primeira vez que houve erros no exame, o que tem trazido transtornos para os examinandos de todo pais.
Obs: A 2ª Fase esta dividia em 4 questões subjetiva tento como valor total 5,0 pontos;

Peça pratica profissional também no valor de 5,0 pontos, totalizando assim 10,0 pontos a prova.

Compartilhe: