Igreja Católica inaugura exorcismo por telefone


Publicado em: 01/01/13 às 23:35 por Micael Batista | Atualizado em 29/08/2017 às 23:43


Compartilhe:

A Igreja Católica da Itália deu início a um serviço de “tele-exorcismo”, em Milão, a sua maior diocese. O motivo é a crescente demanda dos fiéis para que se expulsem demônios. Monsenhor Angelo Mascheroni, exorcista-chefe da diocese desde 1995, afirma que, ao longo dos últimos 15 anos, a cúria já nomeou o dobro de exorcistas para lidar com uma duplicação do número de pedidos de ajuda.
“Recebemos muitos pedidos para fornecer os nomes, endereços e números de telefone, de padres exorcistas. Por isso, criamos uma central de atendimento na cúria, que funciona de segunda a sexta das 14:30 às 17:00. As pessoas com necessidades específicas podem ligar e serão atendidas por um de nossos padres. Desse modo, eles não terão que viajar muito longe para resolver os problemas dos supostos possessos”, explicou o padre.
O monsenhor disse que um exorcista pode atender por telefone até 120 pessoas por dia. “Infelizmente, com tão pouco tempo ele só consegue oferecer uma rápida bênção para cada um que liga. Isso não é suficiente”, disse. “O ideal é que os exorcistas consigam atender de duas a quatro consultas diariamente, caso contrário o serviço não será totalmente eficaz”.
A cúria não sabe por que o número de supostos endemoninhados subiu tanto. Porém, o Mascheroni credita parte desse aumento ao crescente número de pais que têm dificuldade em controlar os filhos desobedientes.
“Geralmente, pais ligam porque estão preocupados com uma adolescente que não quer ir para a escola ou que usa drogas ou simplesmente se rebelou. Na realidade, não é um demônio, mas nessa faixa etária os jovens não querem que lhes digam o que fazer. ”
O religioso sabe que muitas pessoas preocupadas e vulneráveis ​​corriam o risco de encontrar charlatões. “Esses aproveitadores exigem dinheiro. Nós damos o nosso tempo, damos a bênção… tudo de graça. Não poderia ser de outra maneira. ”
O monsenhor enfatiza que todos os que procuraram ajuda foram atendidos. Mas acrescentou: “Pela minha experiência, os fenômenos diabólicos verdadeiros são muito raros.” Ele culpa esse comportamento incomum a “distúrbios psiquiátricos”, na maioria dos casos. Traduzido do jornal Independent.
Compartilhe:



Mais artigos

“Não tenho realmente mais nada a perder”, diz Ludmila Ferber em post do Instagram

A pastora Ludmila Ferber luta contra um câncer no pulmão diagnosticado em março deste ano


André Valadão toma decisão e fala o que pensa sobre Damares Alves

Por dizer que teve uma visão de Jesus em um pé de goiaba, e que Ele a convenceu a não cometer o suicídio, ela passou a ser ironizada nas redes sociais


Polêmica envolvendo Magno Malta e Cabo Daciolo divide mundo gospel

Magno Malta apoiou Bolsonaro para presidente ao invés de Daciolo, assim como a maioria dos evangélicos


O plano “B” de Malafaia sobre Bolsonaro

O líder religioso é um dos principais "Espiritual Influencer" do Brasil e já apoiou alguns candidatos que depois lhe causaram decepção


Pastora lésbica faz declaração na TV e constrange evangélicos

A pastora se utilizou de um argumento já ultrapassado da comunidade LGBT de que a orientação sexual homossexual seria algo de nascença


Cantor secular doa piano de R$ 60 mil para igreja evangélica e revolta fãs

A doação gerou polêmica pois o artista está devendo a pensão alimentícia do filho Matheus, de 6 anos


Haddad perde mais uma e é condenado a pagar 80 mil por ofensas a Edir Macedo

Além da condenação, Haddad também terá que se retratar, sob pena de multa de R$ 1.000 por dia de atraso


Tragédia: Sofrendo com depressão há dois anos, pastor evangélico tira a própria vida

Ultimamente casos de suicídios entre pastores estão aumentando e preocupando a liderança evangélica no Brasil


Fernanda Brum vai responder na justiça por não comparecer a evento gospel. Saiba qual

A organização do Clama Bahia informou por meio de nota, que irá entrar na justiça contra a cantora


Após denuncias de abuso sexual MP de Goiás pede prisão do médium João de Deus

A medida foi requerida após o MP receber mais de 200 denúncias das supostas vítimas do líder religioso