noticias gospel

‘O cinema abre para a pornografia e não para o evangélico’, diz R.R. Soares

Publicado em: 13/11/12 as 14:06 por Micael Batista

Compartilhe:

O missionário R.R. Soares comemorou o sucesso do filme “Três Histórias, Um Destino” falou sobre o estado do cinema brasileiro. Segundo ele, o cinema hoje abre para a pornografia, mas ainda tem preconceito contra os evangélicos.


“O cinema abre para a pornografia, que nunca deveria abrir. Abre pro espiritismo, pro ateísmo, para tudo, menos pro evangélico”, disse o missionário, em entrevista à Folha.


O missionário explica que a “a pornografia distorce a sociedade, aquilo é o lixo do lixo”.


“Aquilo não está mostrando o relacionamento como Deus criou, e sim aberrações tremendas.”


Segundo ele, os filmes do cinema brasileiro tem que ter “pimenta, estupro” para ter sucesso. “E nosso não tem nada disso, pelo contrário”, completou.


“Três Histórias, Um Destino”, que estreou no dia 2 de novembro foi baseado em seu livro homônimo. A trama envolve três pessoas com histórias diferentes, todos buscando a mesma resposta para seus dilemas: “como traçar um novo rumo na vida?”


O filme atingiu a melhor média de público por sala de cinema do circuito. A média foi maior que “007 – Operação Skyfall”, com a marca de 1,07 mil pessoas por sala (em 52 salas).


O sucesso, porém pode ser atribuído a uma campanha evangelística e de oração.


Durante todo o processo, os envolvidos na produção, bem como membros da igreja, realizaram orações que incluíram entre outros tópicos: a abertura das portas pelos dirigentes de cinemas, a unidade da igreja, o perdão a Deus pela iniquidade propagada pelos cinemas hoje e a mudança cultural na nação.


A campanha de evangelismo lançada foi baseada no 1 + 2 = 150 Mil Vidas. Nessa campanha, membros da Igreja Internacional da Graça se compremeteram a trazer pelo menos duas pessoas não cristãs cada um para assistir o filme.


Entretanto, apesar do sucesso do filme, o missionário afirma que ainda existe muito preconceito contra os evangélicos pela sociedade brasileira.


“Ainda há muito preconceito contra o evangélico. Eu me converti há 58 anos. Naquele tempo, eu nunca fui convidado a uma festa de aniversário. O preconceito era completo.”


Segundo R.R. Soares, os evangélicos vêm mostrando que o Evangelho é a “verdade”, que no “Evangelho você se realiza” e que o “Evangelho não é religião”.


“O Evangelho é a libertação da pessoa para não cair nem pra esquerda, pro racionalismo, e nem pra direita, pro fanatismo. É o que a pessoa precisa, é a voz do criador do ser humano que eleva a pessoa e a põe de pé.”


Fonte: The Christian Post

Compartilhe: