noticias gospel

Estátua de ‘Iemanjá’ é apedrejada, e sem provas jornalista acusa evangélicos

Publicado em: 05/10/12 as 13:20 por Micael Batista
Compartilhe:

O apedrejamento de uma estátua da entidade da umbanda iemanjá, localizada na avenida Marechal Castelo Branco, na cidade de Teresina, Piauí, levou o jornalista ateu Paulo Lopes a citar, em seu blog, que evangélicos poderiam estar por trás da violência. A imagem ficou bem danificada, principalmente na região do rosto e das pernas. Os braços foram arrancados. Toda forma de vandalismo é reprovável e deve ser rechaçada, devendo os responsáveis por atos dessa natureza serem tratados à luz do que prevê a lei.
Além da ocorrência em si, chama também a atenção nessa matéria a atitude discriminatória e irresponsável cometida pelo ateu Paulo Lopes, ao intitular a matéria em seu blog, sugerindo que os suspeitos são os evangélicos. O site Cidade Verde, de onde Paulo Lopes obteve as informações, em nenhum momento cita que evangélicos estariam por trás do fato, publicando apenas o ocorrido e as palavras de uma umbandista da cidade, que também não fez referência alguma sobre quem teria atacado a estátua.
Pela lógica e entendimento do jornalista ateu, os evangélicos seriam os suspeitos pelo ataque, pois em agosto deste ano vários integrantes deste segmento religioso ‘criticaram a inclusão da figura de iemanjá na apresentação brasileira no show de encerramento dos Jogos Olímpicos de Londres, alegando que o Brasil é um pais de maioria cristã’.
O jornalista omitiu em sua ‘sublime’ análise que ateus não creem na existência dessa ou daquela divindade, portanto poderiam estar incomodados com a estátua, partindo assim para o apedrejamento. Preferiu basear sua lógica na intolerância religiosa, atribuindo aos evangélicos a culpa pelo crime.
Ao ser consultado pelo Holofote.Net sobre o ocorrido em relação à imagem e a atitude do jornalista ateu, o pastor e doutor Rubens Teixeira assim expressou:
Compartilhe: