Ex-justiceiro, Cabo Bruno assume função de pastor em igreja evangélica


Publicado em: 26/09/12 às 9:59 por Micael Batista | Atualizado em 29/08/2017 às 23:43


Compartilhe:

Florisvaldo de Oliveira, conhecido anteriormente como Cabo Bruno, assumiu oficialmente no domingo (23) sua função de pastor na Igreja Refúgio em Cristo, em Taubaté. A cerimônia durou mais de duas horas e contou com a presença de mais de dez pastores, uma comitiva de quatro representantes da sede da igreja no Rio de Janeiro, além de carcereiros do presídio e ex-detentos convertidos.
Colocado há pouco mais de um mês em liberdade, Oliveira substituiu na função de pastor sua esposa Dayse França, que comandou a igreja durante dois anos, segundo a agência Estado.
Muitos dos presentes testemunharam sobre sua transformação. “O mundo todo e a sociedade podem olhar para você atravessado. Ele (Jesus) olha reto”, iniciou a pregação o pastor Airton, fitando Oliveira. Este, por sua vez acompanhava os testemunhos e cânticos  de olhos fechados e levantando a mão direita.
Conhecido como um dos justiceiros mais temidos de São Paulo, Oliveira passou a atuar matando jovens de bairros da periferia da zona sul a mando de comerciantes locais.
Muitos testemunhos se sucederam, enfatizando a mudança de vida do ex-justiceiro. Seu irmão, Pedro Silvestre, declarou: “todos podem mudar. Essas mudanças são o maior milagre de Deus”.
“Não cabe a nenhum de nós julgar o próximo, ainda que seus pecados sejam vermelhos como o escarlate, se tornarão brancos como a neve”, disse o bispo Vladimir, da Igreja Refúgio em Cristo, que veio da capital fluminense especialmente para a cerimônia.
Após assinar o documento que o empossava como pastor, Oliveira falou pela primeira vez dizendo que “iria saquear o inferno tomando as almas de Satanás e as entregando para um reino de luz”. Ele ainda afirmou que agora vai continuar sua guerra de forma pacífica.
Justiceiro
O ano era 1982 e na época o Cabo Bruno ainda era soldado da Polícia Militar.
Enquanto atuava como justiceiro, Oliveira matou mais de 50 pessoas por encomenda. Segundo ele, matava por não acreditar na recuperação dos “bandidos”, de acordo com a Agência Estado.
Na época ele e os outros justiceiros com quem atuava, além dos comerciantes que ordenavam as execuções, acreditavam que não havia esperança para eles, e por isso deveriam ser exterminados.
De acordo com os depoimentos, depois de se converter Oliveira se mostrou uma pessoa metódica e empenhada. No presídio de Tremembé, onde passou 27 anos, construiu uma igreja e fez pessoalmente alguns elementos, como o púlpito de madeira. “Se eu não ficasse tanto tempo, talvez não estivesse agora aqui”, testemunhou.
Durante o culto não foram mencionados os crimes e fatos do passado. “Queremos esquecer o passado”, disse a mulher, Dayse. “Somos hoje servos de Deus e queremos ter paz para viver”, concluiu.
Por Jussara Teixeira para o Gospel+

Compartilhe:



Mais artigos

Tragédia: Pastor morre em acidente de carro quando voltava do velório da sua irmã

Sua esposa e sua sobrinha também morreram no acidente


Cantora gospel cancela apresentação por falta de cachê e fãs não perdoam

Recentemente a cantora Lauriete passou por alguns problemas na mesma cidade, Cametá, no Pará


Idolatria? Vídeo de apóstolo sendo ungido a “Rei” causa revolta e discussão na internet

O apóstolo costuma pregar usando trajes sacerdotais, um cajado, e a sua poltrona mais parece um trono


Anderson Freire fala a verdade no Instagram depois de perder o Grammy Latino

"O que é maior para Deus, a dor do filho ou o resultado do trabalho do filho?"


Cabo Daciolo dá resposta aos inimigos em post no Instagram

O parlamentar fez alguns inimigos em Brasília, mas também conquistou a simpatia de muitos brasileiros


Vanilda Bordieri desabafa em Live no Facebook e diz que “não é a favor do divórcio”

Vanilda está em pé de guerra com alguns seguidores desde a transmissão que fez do casamento relâmpago de sua irmã Célia Sakamoto


Daniela Araújo lança clipe da música “Sonhadora” e dar a volta por cima

"Eu continuo aquela pessoa sonhadora, meio criança meio boba, imaginando coisas boas por aí..."


Jojo Todynho “detona” críticos após ser flagrada cantando música gospel

Ela reclama da falta de tolerância e ataca duramente os seus críticos.


Bebê é abandonado na porta da igreja e religioso toma decisão inusitada

"Me sinto responsável por ele, desejava até adotar a criança"


Álbum “Fraquinho” de Fernanda Brum ganha Grammy e desbanca Anderson Freire e Cassiane

A cantora ganhou com o álbum "Som da Minha Vida"