“Culto dos príncipes” faz sucesso entre jovens solteiros


Publicado em: 02/08/12 às 20:59 por Micael Batista


Compartilhe:
“Culto dos príncipes” faz sucesso entre jovens solteiros“Culto dos príncipes” faz sucesso entre jovens solteiros
O missionário Claudio Brinco é casado com Nãna Shara, filha da pastora Baby do Brasil e cunhado de Sarah Sheeva, que ficou conhecida por realizar o “culto das princesas”.
Mais de duzentos homens se reuniram no salão do clube Olympico, em Copacabana, zona sul do Rio para vê-lo pregar na segunda edição do “culto dos príncipes”.

Uma das máximas ensinadas é “Príncipe não namora cachorra, namora princesa”. “A ideia é estimular uma nova cultura comportamental entre os seguidores da Igreja Celular Internacional (ICI), no que se refere a namoro e, claro, sexo”, explica o missionário. Há algumas regras básicas a serem seguidas por quem deseja ser um “príncipe”. A começar pelo próprio culto: mulher não entra.
Além disso, para o príncipe solteiro, sexo é proibido e masturbação, nem pensar. O beijo na boca não está proibido na Bíblia, mas pode trazes problemas aos fieis. “Beijo de língua não é pecado. Mas comida também não é e te leva à gula. Beijo é igual a forno elétrico. Liga em cima e esquenta embaixo”, afirma o missionário.
O culto inicia com o tradicional período de louvor. Durante a pregação Brinco sobe ao púlpito que tem três telões de 50 polegadas nas laterais. Ele usa frases como “A merenda é só depois do recreio. Príncipe aguarda as ordens do Rei”, e o foco é guardar a castidade até o casamento. “Você nasceu para ser o cabeça, o provedor, o varão da sua casa. Diga ao príncipe ao seu lado: ‘você é o varão da sua casa, irmão’. Queremos uma nação de homens livres da cultura machista, egoísta e demoníaca. Não ao sexo antes do casamento”, continua.
A maioria dos jovens tem entre 18 e 30 anos e são de diferentes bairros da cidade. Poucos namoram. E quando namoram, é com meninas também evangélicas.
Brinco ensina que as tentações são diárias e é preciso ter força para suportá-las. “Dia desses andava na calçada quando vi uma morena fenomenal vindo na minha direção. Eu sou homem, pô! Aqui tem testosterona. Enquanto todos os caras viraram o pescoço para vê-la melhor, encostei na parede e comecei a orar ao Senhor. Uma irmã aqui da igreja passou na hora e perguntou se estava passando mal. Disse para ela que não, só estava afugentando o demônio”, relata aos presentes.
Em seguida, convida o pastor Nelson Júnior, de Vitória, para subir ao altar. Nelson é um dos líderes do movimento “Eu escolhi esperar”, que também estimula a castidade. “Não é fácil ser cristão nos nossos dias. Não é fácil ser homem. Mais difícil ainda é ser homem e cristão”, diz Nelson.
A palavra volta para o missionário Brinco, que explica como diferenciar uma princesa de uma cachorra. E dá dicas de como se deve fugir das cachorras. “Não diga nada, não ofereça ajuda, porque você não vai resistir. Seu cérebro vai emitir sinais para a cabeça de baixo e aí já era. Recorra a uma pastora. Só uma pastora pode salvar a cachorra”, diz em tom aflito.

É a segunda vez que o culto dos príncipes é realizado no Rio. (Paulo Marcos)
As redes sociais também devem ser vigiadas. “Padronize o Facebook de acordo com o reino de Deus. Não adianta ter uma vida regrada na realidade e ser libertino na vida virtual. Se você é príncipe, não procure mulher no Facebook. Príncipe não tem álbum no Facebook. Não idolatra a própria imagem”, ensina.
Ele questiona também um dos assuntos mais comentados nas igrejas atualmente. “Antigamente criticavam a homossexualidade. Hoje toleram. Amanhã vai ser obrigatório. Temos que ir na contramão da cultura mundana, irmãos. A sociedade pode até te chamar de gay, mas Deus vai te chamar de Príncipe, homem”.
O missionário fala com conhecimento de causa. Ele é casado há sete anos com a cantora Nãna Shara. Durante todo o namoro eles ficaram um ano e oito meses sem sexo e nem mesmo beijo na boca.
O culto tem um pouco mais de duas horas de duração. No final, muitos dos presentes fazem perguntas que são respondidas por Brinco. Foram entrevistados pelo portal IG vários presentes como Bruno Luiz Alves, auxiliar de farmácia, 22, que diz seguir à risca todos os mandamentos. “Aqui tenho tudo explicado de forma clara”.
Thiago Kuster, 27, é coordenador financeiro e diz que pretende encontrar sua princesa na igreja. “É a necessidade de todo cristão. Vou aguardar o tempo que for”
Comente no Fala Malafaia
Compartilhe:



Mais artigos

Bruna Marquezine “vai aos prantos” durante apresentação de cantor gospel em culto evangélico

Bruna Marquezine caiu no choro ao ouvir o cantor gospel Fernandinho cantar a frase "Deus é bom pra mim"


Pastora Ludmila Ferber mostra cabeça após queda de cabelo e faz confissão emocionada

Pela primeira vez após revelar estar com a doença, a pastora mostra o efeito da quimio em seu cabelo


Saiba quais são os cantores gospel famosos que estão enfrentando doenças graves

Os casos acabaram acontecendo quase ao mesmo tempo e deixando muita gente preocupada


Ouça a musica gospel que pode virar um “hino” na luta contra a depressão

Leandro Prado é CEO da Observ Design


Malafaia inaugura restaurante da filha e detalhe causa polêmica

No restaurante da filha do pastor, foi instalada uma adega e isso despertou a ira dos críticos


Pregador famoso é flagrado usando transporte público e mostra que é gente como a gente

Mesmo com carro na garagem, muitas vezes ele usa ônibus ou metrô para atender alguns compromissos


Ex-artista da Globo volta ao evangelho e anuncia retorno a música gospel

Ele foi vice-campeão do quadro "Iluminados", no Domingão do Faustão da Globo


Vice-presidente da Assembleia de Deus de Pernambuco grava vídeo e se defende de acusações

O pastor alegou que falsificaram um documento e atribuíram a sua pessoa


Pastor Silas Malafaia sai em defesa de Marcelo Crivella: “Tudo armação”

Crivella desmente as acusações, e afirma que sentença do juiz do Rio não se baseia nos fatos


“FUI CURAR E FUI CURADA”diz cantora Eyshila após visitar a pastora Ludmila Ferber que está com câncer

Eyshila se surpreendeu com a determinação e a garra da pastora