noticias gospel

Pastor Marco Pereira é acusado nas investigações de estupro pela ex-mulher – Confira

Publicado em: 17/07/12 as 18:42 por Micael Batista

Compartilhe:
Com informações do portal Extra o depoimento feito pela ex-mulher do Pastor Marcos Pereira da Igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias colhido pelo (Dcod)-Delegacia de Combate às Drogas, ela o acusa de estupro no período que estiveram casados.- Confira e comente…

A ex-mulher do pastor Marcos Pereira da Silva acusa o líder da Assembleia de Deus dos Últimos Dias de estupro. No depoimento que deu à Delegacia de Combate às Drogas (Dcod), no último dia 9, Ana Madureira da Silva, de 58 anos, conta que morou com o religioso até 1998 e que, numa ocasião, ele “entrou em casa, trancou as portas e fez sexo à força” com ela. O documento consta no inquérito que apura as acusaçõs do coordenador do Afroreggae José Junior contra Marcos Pereira.
De acordo com o depoimento, Ana Madureira conta que os dois se casaram em 1989, quando ainda não eram evangélicos. Cinco anos depois, Marcos passou a frequentar cultos e criou um “ponto de pregação” em casa, onde eram realizados cultos às segundas-feiras. Antes do abuso sexual acontecer, Ana Madureira teria tido, segundo ela, “uma visão do Anjo do Senhor que avisava que o pastor Marcos iria estuprá-la para que engravidasse” e, posteriormente, lhe acusasse de adultério. Eles têm dois filhos juntos.
Procurado pelo EXTRA, a ex-mulher do pastor Marcos Pereira não quis comentar as informações que deu à polícia. O líder da Assembléia de Deus dos Últimos Dias também não quis comentar as acusações. Seu advogado, Sérgio Júnior, informou que ainda não teve acesso aos autos e as acusaçõs da ex-mulher são difamantes:
– A Justiça será feita e a inocência do meu cliente será provada. A verdade é a vida, Aleluia!
Leia o que diz a Delegada que cuida do caso e comente…
A delegada Valéria Aragão, titular da Dcod, informou que, embora crimes sexuais não façam parte da sua investigação, ela está encaminhando os depoimentos com essas acusações para as Delegacias de Atendimento à Mulher (Deam). O foco do inquérito é apurar o suposto envolvimento do pastor com tráfico de drogas, associação para o tráfico e lavagem de dinheiro.
– Em nenhum dos depoimentos, as testemunhas falam em violência, ameaça, coação, apenas em sedução. Todos há cerca de oito anos atrás – explica.
fonte:Globo.com/Extra
Compartilhe: