noticias gospel

Goleiro Bruno usa palavras bíblicas para afirmar que não tem relação com desaparecimento de Eliza Samudio

Publicado em: 15/07/12 as 19:28 por Micael Batista

Compartilhe:
descrição
Bruno disse que “pelo sangue de Cristo Jesus” nunca desejou o desaparecimento de sua ex-amante Eliza Samudio. As afirmação do goleiro Bruno, negando qualquer participação no crime, foram descritas em carta enviada a uma rede de televisão.

“Te confesso, pelo sangue de Cristo Jesus, que nunca desejei, ordenei ou determinei, a quem quer que seja, o desaparecimento de Eliza Samudio”, diz um trecho da mensagem que Bruno enviou à TV Alterosa.

Segundo Rui Pimenta, advogado do goleiro, Bruno tem frequentado encontros evangélicos na penitenciária de Contagem, onde está preso. Na carta Bruno fala também sobre o filho com Eliza, hoje sob a guarda da avó. “ O Bruninho tem sim um pai. Aliás, sempre teve. E vou honrar esse compromisso”, ressalta. “Deus é minha testemunha e saberá cobrar quem merece”, afirma em outro trecho.

Ao fim da carta, Bruno faz referência aos seus desentendimentos com seu ex-secretário, Luiz Henrique Romão, o Macarrão que também é suspeito pelo crime. De acordo com os advogados de Bruno e Macarrão, os dois romperam a amizade no início desse ano, em decorrência dos desentendimentos sobre o suposto crime. “Talvez o único erro da minha vida foi ter confiado em algumas pessoas” destaca o goleiro, no fim da carta.

Carta polêmica

Na última semana a revista Veja publicou uma carta supostamente escrita por Bruno, para Macarrão, na qual ele pede perdão ao amigo e cita um possível “plano B” que, segundo a revista, se referia à ideia de que Macarrão assumisse a culpa pelo desaparecimento de Eliza Samudio.

Segundo o iG, Bruno foi punido pela penitenciária pelo envio da carta, que deveria ter passado por avaliação de um departamento específico “para registro e conferência de teor”. A Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) informou que, como punição, o goleiro foi proibido de trabalhar na faxina da unidade prisional e ficará recolhido em sua cela, com exceção das duas horas de banho de sol a que tem direito todos os dias. Na próxima segunda-feira, ele será ouvido pela Comissão Disciplinar da unidade, que determinará por quanto tempo a punição será cumprida.


|Pátio Gospel Noticias

Compartilhe: