noticias gospel

Campanha contra aborto mobiliza internautas e promove tuitaço

Publicado em: 27/06/12 as 14:54 por Micael Batista

Compartilhe:

Os tuiteiros promoveram nesta terça-feira (26) uma campanha para acabar com os abortos no Brasil. Pedindo o fim da prática, os usuários do microblog fizeram um “tuitaço” às 15h.
Lançada pelo Movimento Brasil Sem Aborto – integrado por organizações não governamentais e entidades ligadas à Igreja Católica, a hashtag #BrasilSemAborto figurou entre os destaques doTrending Topics nacional.

No início desde mês, evangélicos e católicos reagiram à proposta de redução de danos e riscos para o aborto ilegal, em discussão no Ministério da Saúde.
Reação ao tema
Evangélicos e católicos reagiram no início do mês de junho à proposta de redução de danos e riscos para o aborto ilegal, em discussão no Ministério da Saúde. A ideia é que mulheres que decidiram abortar sejam acolhidas na rede de saúde e recebam informações sobre alternativas, riscos e métodos.
“Isso não existe, nós vamos para cima”, afirmou o deputado João Campos (PSDB-GO), presidente da Frente Parlamentar Evangélica. ”Vamos colocar com veemência nossa posição e nossa disposição de fazer enfrentamento se o governo levar isso para frente”, avisou na época o deputado.
Há quem fale em obstrução das sessões no Congresso – como em 2011, com o “kit gay”, material para combater a homofobia nas escolas que não chegou a ser distribuído.
“Vem o Executivo, com o artifício do dano, legalizar o aborto. Estão desrespeitando o que a presidente Dilma Rousseff disse na campanha (quando se comprometeu a não mexer na lei para aprovar o aborto), diz o advogado católico Paulo Fernando Melo, vice-presidente do movimento nacional Pró-Vida e Pró-Família.
O pastor Silas Malafaia, presidente da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, também subiu o tom. “É política de safadeza”, afirmou. “Que questão de saúde pública é essa que mata o bebê? Tem que ser para proteger os dois (mãe e filho). É a maneira maquiada de se ensinar e motivar o aborto”.
Não deixe de registrar o seu comentário no Verdade Gospel.
Fonte: Folha

Compartilhe: